The Lines at Monte Socorro
Menu
Início
Actividades
Equitação
As Quintas
Historial
As linhas hoje em dia
Contactos
Books
Mapa do Site
Pesquisa

Quinta da Póvoa -
Serra do Socorro
Casal Barbas
2565-771 Turcifal
Torres Vedras
Portugal

Tel: + 351 917260828
Tel: + 351 261-786262/206
Fax: + 351 261-315085

 
 
Início arrow Historial arrow Envolvente histórica arrow O centro das Linhas



O centro das Linhas Imprimir e-mail

Serra do Socorro (O centro de comando de Wellington)

Após a batalha do Bussaco, o exército anglo-luso retirou-se para as linhas de Torres Vedras, onde se entrincheirou a 10 de Outubro de 1810. Lord Wellington estabeleceu o seu quartel general em Pêro Negro, a sudoeste do Sobral, próximo da Serra do Socorro, onde assiduamente se deslocava para observar o inimigo. Foi o principal posto de observação e comunicação das linhas de Torres Vedras, com os seus 394m de altura.

Do topo, o general em chefe, podia ver toda a área entre o Oceano e a lezíria, apercebendo-se facilmente de qualquer movimentação do exército invasor. Graças à interrupta visibilidade em dias de fraca nebulosidade, funcionou ali o posto de comunicações do próprio quartel general, ou seja, a principal estação de sinalização e observação das linhas, facto que valeu ao local, a designação de" Wellington´s Eagle Nest". As mensagens podiam ser enviadas a toda a linha, em menos de 7 minutos, através de um mastro de madeira, composto de balões e bandeirolas, instalado no terreiro frente à bonita e antiga ermida do século XII, edificada na cumeada.

serra do socorroA Serra não era fortificada, mas sim defendida pelos fortes da proximidade. A sudeste, próximo ao quartel general, foram construídos 2 redutos isolados, nºs 28 e 29, que protegiam a estrada  pavimentada, que ligava a Ribaldeira à Enxara dos Cavaleiros, duma possível tentativa de avanço rápido do inimigo sobre a primeira linha. Esta via que consistia a principal comunicação entre Torres Vedras e Lisboa, era defendida pelas divisões Campbell´s e Coleman. Os fortes referidos, foram guarnecidos pelos aliados espanhóis, comandados pelo General Marquês de La Romana, que instalou o seu quartel general, na aldeia da Enxara do Bispo, próximo à Serra do Socorro, constituindo assim uma posição de reforço entre a primeira e segunda linha. A nordeste da Serra do Socorro, nos montes próximos da Portela do Bispo e Patameira, foram construídas os trabalhos defensivos nº 150 e 151, que barravam as estradas que seguiam de Torres Vedras, para a Cadriçeira/ Casal Barbas e, da Ribaldeira para a Enxara do Bispo.

Os fortes nºs 128, 129 e 130 localizados na Serra da Archeira, a noroeste da Serra do Socorro, apoiavam a posição anterior, conjuntamente com as defesas instaladas junto ao vale do rio Sizandro. Grande parte da calçada militar que ligava e servia os fortes da Portela do Bispo e Archeira, continua em razoável estado de conservação.

As posições fortificadas da Serra da Archeira / Alto da Portela,/ vale da Zibreira, eram defendidas por 17 canhões e 1350 homens da divisão do General Spencer, aquartelada na Quinta da Póvoa/Quinta do Vale do Corvo, junto à estrada real de Torres Vedras para Lisboa, pela Enxara dos Cavaleiros e  Cabeço de Montachique.

 

 

 

 

 

 

© Quinta da Póvoa 2017. Powered by Joomla, designed by Acolyte.

 
signoff